13 de jun de 2016

Você não vai acreditar nas cores (e perigo) desses sapos! / You will not believe the colors (and danger) of these frogs!

Dendrobates azureus | Photo: Brando Alms
     Até quem não gosta de sapos tem que admitir que essa família de anfíbios é fantástica! Parecendo um verdadeiro arco-íris,  os animais da família Dendrobatidae possuem exuberantes cores fortes que deixam um recado claro: não me comam, sou tóxico; essa característica é chamada de aposematismo e é presente em diversos animais, inclusive algumas espécies de joaninha. E o aviso não é para menos: essas espécies são altamente venenosas, inclusive um dos animais mais tóxico do mundo pertence à essa família, o sapo dourado da espécie Phyllobates terribilis, cuja pele possui uma glândula que libera alcalóide lipofílico, um veneno forte o suficiente para matar cerca de 10 seres humanos por falência multipla dos órgãos. Os alcalóides são obtidos através da alimentação de alguns artrópodos (ácaros e formigas) que alimentam-se de plantas que contém alcalóides.
   Esses animais são encontrados somente na parte tropical e úmida da América,  entre a América Central até a região Sudeste no Brasil, e algumas tribos indígenas da região utilizam esses sapos como arma, esfregando sua pele nas pontas de seus dardos e deixando-as cheias de veneno para poder caçar, o que fez com que algumas espécies ficassem conhecidas como sapos-ponta-de-flecha. Depois que eles conseguem a presa, eles cozinham a carne, para neutralizar o veneno do sapo da carne antes de comer. Apesar de ser necessário ingerir o animal para que o ser humano acabe envenenado, manuseia-se eles com cuidado e luvas, pois se houver algum ferimento pode ocorrer acidentes. Os índios manipulam esse animal cuidadosamente com folhas.
   São animais diurnos, com poucos predadores naturais já que apenas indivíduos com adaptações para sobreviver ao veneno conseguem se alimentar deles, como é o caso da serpente Leimadophis epinephelus. Os ovos são terrestres e quando eclodem os pais transportam os girinos nas costas até a agua, onde eles possam terminar o desenvolvimento.

Ranitomeya imitator 'Varadero' |  Photo: Jason Brown
Adelphobates quinquevittatus | Photo: Renato Gaiga
  Even those who do not like frogs have to admit that this family of amphibians is fantastic! Looking like a real rainbow, the animals in Dendrobatidae family have exuberant bright colors that give a clear message: do not eat me, I'm toxic; this feature is called aposematism and is present in many animals, including some species of ladybirds. And the warning is for real: these species are highly poisonous, actually one of the world's most toxic animals belong to this family, the golden-dart-frog species Phyllobates terribilis, whose skin has a gland that releases ipophilic alkaloid, a poison strong enough to kill around 10 people for multiple organ failure. They get the alkaloids from eating some arthropods (mites and ants) that feed on plants containing alkaloids.
   These animals are found only in tropical and humid part of America, from Central America to the Southeast region of Brazil, and some Indian tribes of the region use these frogs as a weapon, rubbing their skin on the tips of their darts and making them full of poison to be able to hunt, which has made some species to be known as Dart-Poison Frogs. Once they get the prey, they cook the meat to neutralize the poison before eating.     
    Although it is necessary to swallow the animal for humans to be poisoned, peoples handle them carefully with gloves since any injury can result in an accident. The Indians manipulate the animal thoroughly using leavessince only individuals with adaptations to survive the poison can feed on them, such as the snake Leimadophis epinephelus.  They have their eggs on land and when they hatch the parents carry the tadpoles back to the water, where they can finish the development.
Oophaga histrionica blue (saddleback) | 

Dendrobates tinctorius | Photo:
Ranitomeya variabilis | Photo: Dr. John P. Clare

 
Ameerega silverstonei | Photo: Evan Twomey

(Excidobates mysteriosus | Photo: Durrell
Oophaga histrionica |

Oophaga histrionica quebrada vicordo |


Ranitomeya vanzolinii | Photo: Herp-science
Oophaga pumilio | Photo: Thomas Ostrowski
Dendrobates captivus | Photo: Evan Twomey
Phyllobates terribilis | Photo: John P. Clare
Biologia-Vidaimage credit: frogandtoad
Fontes/Sources: Herpetofauna / Amphibian web / Animal Diversity Web 
Postado por Thalita Morais