24 de fev de 2014

Agário-das-moscas / Fly agaric (Amanita muscaria)


 Biologia-Vida  |   Photo: Stephanie Cullison
Originário do hemisfério Norte, este fungo já foi espalhado pelo mundo todo, incluindo no Brasil (principalmente no Paraná), devido a exportação de sementes de árvore coníferas (principalmente Pinus sp.) que continham esporos de Amanita. Isso ocorreu devido uma relação mutualista de micorriza entre as hifas do fungo e as raízes das árvores: as hifas ajudam na absorção da água já que aumentam na área de absorção (chamada também de rizosfera), e em troca recebem da planta carboidratos dos quais se alimentam mas não conseguem produzir sem ajuda, pois não efetuam fotossíntese. Essa associação faz com que os fungos cresçam sempre próximo aos pinheiros, por isso, se algum dia você quiser ver um destes maravilhosos fungos, já sabe onde procurar, e principalmente por meados de setembro e outubro, em dias úmidos ou após um dia chuvoso.

 Photos: 1/2 Mushroom Hobby / 3 Onderwijsgek / 4 Indie Annajones

 Sim, a Amanita tem propriedades alucinógenas, causando delírio, alteração de consciência, sono profundo com sonhos vívidos e empolgação, com os efeitos dos compostos químicos (sendo o principal o muscimol) podendo durar de 5 a 10 horas; devido esta propriedade é muito utilizada em rituais religiosos pelo mundo, como forma de se comunicar e invocar espíritos. Os efeitos podem variar de organismo para organismo e são um pouco imprevisíveis, podendo muitas vezes levar à morte, por isso recomenda-se que não sejam ingeridos sem acompanhamento profissional. Ele também é utilizado em pequenas doses controladas na medicina e era utilizado para espantar moscas, sendo misturado com leite, o que deu origem ao seu nome comum.
Photo: Dick Besse

Quando começa o crescimento, o cogumelo parece um pequeno ovo, apenas uma bolinha branca no chão, pois está completamente coberto pelo véu universal. Conforme vai crescendo, a umbrela ("guarda-chuva", em português, como é chamado o chapéu vermelho) vai saindo e arrebenta o véu, ainda restando pedacinhos dele que vão até a forma adulta do corpo de frutificação, que são essas bolinhas brancas em cima. Um segundo véu é arrebentado para liberar as lamelas (que ficam embaixo do chapéu e vão liberar os esporos do fungo).
Unknown Photographer (if you known, plesae tell us) 
Algumas espécies dentro do gênero Amanita são comestíveis e não causam danos, a maioria sendo incolor e parecer bem comum, embora, novamente, recomenda-se prudência, uma vez que espécies como Amanita verna e Amanita phalloides sejam os mais mortais e também não sejam vermelhos. Muitas crianças acabam ingerindo o cogumelo ao encontrá-lo, porque a imagem foi muito divulgada em desenhos animados e jogos como Super Mario world, passando uma ideia de inocência. 

Photo:  Mushroom Hobby


 ________________________________________________________________________________________
Native to Northern hemisphere, this fungus has been spreading throughout the world, including in Brazil (mainly in Paraná), due to export seeds of coniferous tree (mainly Pinus sp.) Containing spores of Amanita. This occurred because of a mutualistic relationship mycorrhizal between hyphae of the fungus and the roots of trees: the hyphae helps in the absorption of water because they increase the absorption area (also called the rhizosphere), and in return receive the carbohydrates from the plant of which it feeds on but can not produce without help because it doesn't perform photosynthesis. This binding causes the fungi always grow next to pine trees, so if you ever wanted to view one of these beautiful fungi, you know where to look, and especially after a rainy day around November.
Yes, the Amanita has hallucinogenic properties, causing delirium, altered consciousness, deep sleep with vivid dreams and excitement, with the effects of chemical compounds (the main one being muscimol) lastig 5-10 hours, because of that property, Amanita is widely used in religious rituals throughout the world, as a way to communicate and summon spirits. The effects can vary from organism to organism and are somewhat unpredictable and can often lead to death, so it is recommended that you don't consume without professional supervision. It is also used in small controlled doses in medicine and was used to scare away flies, being mixed with milk, which gave rise to its common name.
When growth starts, the mushroom looks like a small egg, just a little white ball on the ground, as it is completely covered by the universal veil. As it grows, the umbrella (as it is called the red hat) goes out and breaks the veil, still lasting pieces of it on the adult form of the fruiting body, which are these little white dots above it. A second veil is burst to release the lamellae (that is beneath the hat and will release the spores of the fungus).
Some species within the genus Amanita are edible and do not cause damage, most being colorless and appear quite common, although, again, it is recommended caution, since species such as Amanita verna and Amanita phalloides are the most deadly ones and also are not red. Many children end up eating the mushroom when they find it, because the image of Amanita muscaria was widely circulated in cartoons and games like Super Mario world, forming an idea of innocence.
Photo: sahtanoj

Sources: Royal Botanic Gardens  / Cogumelos mágicos / Science daily
Posted by Thalita Morais